appetites.

Foi imediato. Uma palavra puxou uma segunda e uma só frase não chegava. Abrimo-nos, partilhámos e criámos algo em instantes. Sem qualquer tipo de bases, completamente à descoberta, como se houvesse algo que nos puxava para continuar a falar. Conversa gerava conversa e fizemo-lo por horas… Quando me apercebi disto, quando parei para pensar o que realmente acontecera e o porquê de ter permitido alguém a entrar na minha vida dessa foram, naquilo que é a minha bolha, a minha intimidade, a minha mente, dei por mim a pensar mais ou menos nisto… Tenho a sensação de que um novo ciclo está para começar, uma boa sensação. Talvez porque acima de tudo, preciso disto, preciso de melhor, preciso de novo, preciso de recomeços... Estou naquela fase de necessitar de uma folha branca; não de um novo livro, porque acredito que o que vivemos aconteceu com algum propósito e não deve nunca ser apagado, mas sim de um novo capítulo. É nesta fase que posso voltar ao controlo, que posso pelo menos tentar, e isto já é um começo. Comecei por esquecer aquilo que já não me fazia bem, abri portas a algo que me pareceu melhor, que pelo menos não me fazia mal e isto já era mais do que o que tinha. Desta vez não me isolei, não me refugiei em sítios onde ninguém me poderia ajudar, e não sei porquê, encontrei algo, encontrei alguém que me ouviu, que me ajudou de certa forma. No meio da monotonia da vida, algo bateu certo e então algo se gerou. O quê concretamente? Não sei mas vou ficar por perto para perceber.

No comments:

Post a Comment